Dicas sobre Candidíase

Calça apertada cai bem. Mas será que faz bem?

Calça apertada cai bem. Mas será que faz bem?

As mulheres adoram se vestir bem, estar sempre elegantes e valorizar as curvas do corpo feminino e, para isso, nada melhor do que uma calça justa, não é verdade? Mas todo o esforço para ficar linda pode acarretar complicações à sua saúde íntima.

A verdade é que quanto mais justa a roupa é, maior é a temperatura e umidade da região. E esse é o ambiente ideal para a proliferação de bactérias, fungos e desequilíbrio da flora vaginal, resultando em infecções fúngicas como a candidíase.

O que evitar?

A calça jeans, além de ser a peça preferida das mulheres, é a favorita das infecções íntimas, como a candidíase, vaginose bacteriana, vulvite, vulvovaginite.

Leia mais >

A calça jeans, além de ser a peça preferida das mulheres, é a favorita das infecções íntimas, como a candidíase, vaginose bacteriana, vulvite, vulvovaginite, entre outras, que são desencadeadas por organismos que se multiplicam com facilidade em ambientes quentes e úmidos, como a vagina, depois de um dia de calça jeans. Por ser um tecido grosso e impossibilitar a ventlação da pele, aumenta a umidade e temperatura da região.

Calças leggings também devem ser evitadas. Apesar de o tecido ser mais fino e leve, por se tratar de um material sintético, também impede a transpiração da pele e aumenta as chances de infecções, principalmente em dias quentes, comuns no nosso país.

O que usar?

Calças mais largas, de tecidos mais leves, principalmente de algodão e que possibilitem as transpiração da pele, além de saias, vestidos, bermudas e shorts são peças que, além de elegantes e estilosas, ajudam da saúde íntima das mulheres.

Afinal, nada melhor do que estar linda e saudável, não é mesmo?

Para conhecer nossos produtos Clique Aqui

Fonte:

L.BR.MKT.09.2015.4069

Calcinha: quais os melhores modelos para sua saúde íntima?

Calcinha: quais os melhores modelos para sua saúde íntima?

A calcinha é uma peça do guarda-roupa feminino que ultrapassa a função de vestimenta e proteção, se tornando um artigo de moda e peça-chave na composição de um visual sensual. A prova disso é que muitas mulheres adoram a lingerie, inclusive, possuem peças de diversos modelos, cores e tecidos. Mas, você sabe qual é a melhor peça íntima para a saúde feminina?

Muita gente não sabe, mas é preciso escolher a peça não só pela aparência. Alguns tecidos e modelos de calcinha acabam prejudicando a flora vaginal, pois abafam a região e incentivem a proliferação de fungos e bactérias, aumentando as chances da mulher desenvolver alguma infecção.

Confira algumas dicas para a hora de escolher a melhor calcinha para o seu corpo:

O algodão é o seu melhor amigo

Calcinhas de algodão, além de serem muito mais confortáveis, absorvem as secreções naturais no tecido e permitem que a pele respire, com isso evitam o aumento da umidade e da temperatura da região.

Apesar de as calcinhas de algodão não terem modelos muito sexies, você pode inovar escolhendo opções com cores e estampas diferentes para o seu dia a dia.

Mas não posso mais usar calcinhas de renda ou fio dental?

Você pode usar modelos de tecido sintético, de renda e até mesmo fio dental em momentos íntimos. Mas, na sua rotina, sempre prefira calcinhas de algodão.

Peças de tecidos diferentes do algodão, justas demais e fio dental impedem a ventilação da pele e aumentam a temperatura, além de poderem causar irritação. Tudo isso desequilibra a flora vaginal e estimula o surgimento da candidíase.

Durma sem calcinha

Você pode até achar estranho, mas o ideal é que todas as mulheres durmam sem calcinha. Além de confortável, isso permite que a região íntima fique arejada e que o equilíbrio da flora vaginal seja restaurada diariamente.

Para conhecer nossos produtos Clique Aqui

Fonte:

  • GIRIBELA, Cassiana R.G. Mestre e Doutora pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo; CRM 97361-SP.
  • Sociedade Brasileira de Infectologia. Candidíase Vulvovaginal.
    Disponível em:
    http://www.infectologia.org.br/candidiase-vulvovaginal/.
    Acesso em 04 de agosto de 2015.

L.BR.MKT.12.2015.4496

Candidíase: livre-se dos tabus!

Calça apertada cai bem. Mas será que faz bem?

Coceira, ardor, vermelhidão na região íntima e um corrimento branco e espesso, sem odor. Esses são os sintomas mais comuns da candidíase. Mas fique calma, não é preciso se desesperar, porque o tratamento costuma ser simples.

A candidíase é um tipo de infecção vaginal super comum, como tantas outras, provocadas por fungos e bactérias. Apesar disso, existem muitos mitos e tabus envolvendo a doença e, por isso, vamos desvendá-los um a um.

Candidíase é DST?

Não! Esse é o maior mito em relação à candidíase. Por atingir a região genital, muitas pessoas acreditam que se trata de uma doença sexualmente transmissível (DST), mas isso não é verdade. O fungo causador da doença faz parte da flora vaginal saudável e pode estar presente no organismo de homens e mulheres.

Porém, por algum desequilíbrio, seja por estresse, baixa imunidade, entre outros motivos, os fungos se proliferam e causam a infecção. É importante evitar as relações sexuais durante o tratamento, pois, além de ferir a região que já está sensível pela doença, a infecção pode ser transmitida ao parceiro.

Candidíase é falta de higiene?

Pode até aparecer estranho, mas tanto a falta de higiene quanto o excesso podem estimular o surgimento da candidíase. Claro que manter a higiene em dia, lavando corretamente a região genital, utilizando o papel higiênico da forma correta, evitando que a vagina receba as bactérias presentes nas fezes e fazendo a troca de absorventes no período de quatro em quatros horas durante a menstruação, são hábitos que ajudam a manter a doença longe.

Porém, a higienização de forma exagerada, fazendo duchas íntimas, utilizando sabonetes com pH ácidos demais e até mesmo passando perfumes, gera o efeito contrário ao esperado. Ao tentar limpar demais, a flora vaginal é desequilibrada, pois as bactérias e fungos que deveriam ficar ali para manter o equilíbrio são retirados. E isso provoca a proliferação de fungos danosos, como o da candidíase.

Agora que você conhece melhor a doença e viu que muitas pessoas fazem um julgamento equivocado sobre a candidíase, percebeu como ela não é tão assustadora assim? Basta fazer o tratamento corretamente com antifúngico, como o Gino-Canesten®, para recuperar sua saúde íntima.

Para conhecer nossos produtos Clique Aqui

Fonte:

Candidíase na gravidez: entenda os riscos e como tratar.

Calcinha: quais os melhores modelos para sua saúde íntima?

A gravidez é um momento especial na vida de toda mulher. Além de ser uma fase repleta de alegrias, também exige mais cuidados com o corpo. Durante a gestação o organismo feminino passa por diversas transformações físicas e hormonais para o desenvolvimento do bebê, alterando o sistema imunológico.

Uma delas é o aumento do nível de estrogênio, que faz com que o acúmulo de açúcar no sangue aumente, favorecendo a proliferação de fungos e bactérias. Com isso as chances de surgir infecções vaginais como a candidíase crescem. Portanto, é necessário ter alguns cuidados especiais nesse período.

Como posso tratar a candidíase durante a gravidez?

A gestante deve procurar seu ginecologista para verificar o melhor tratamento. Os mais indicados tem como foco o uso de antifúngicos, como o clotrimazol.

Mudar alguns hábitos durante o período da gravidez também podem ajudar a tratar e até mesmo prevenir a infecção. Por exemplo, evitar alimentos ácidos, calças apertadas e calcinhas de tecido sintético reduzem as chances de desequilíbrio da flora vaginal.

Para conhecer nossos produtos Clique Aqui

Fonte:

L.BR.MKT.12.2015.4496.

Candidíase não tem idade.

Candidíase não tem idade.

A candidíase é uma doença cercada de mitos. Muitas pessoas acham que ela é uma doença sexualmente transmissível (DST) e que só acomete mulheres adultas em fase reprodutiva. Contrariando essas ideias, a infecção vaginal por Candida pode ocorrer em mulheres de todas as idades, mesmo que ainda não tenham iniciado a vida sexual.

Entenda melhor como doença pode surgir em diversas fazes da vida, além da adulta.

Infância

A candidíase é causada por um fungo que não vive só na flora vaginal, mas também na boca e nos sistema digestivo. Nas crianças, é comum vermos a candidíase se manifestar por meio do popular “sapinho”,

Leia mais >

Infância

A candidíase é causada por um fungo que não vive só na flora vaginal, mas também na boca e nos sistema digestivo. Nas crianças, é comum vermos a candidíase se manifestar por meio do popular “sapinho”, lesões nos lábios e também nos genitais pelo uso constante de fraldas.

Adolescência

Com a chegada da puberdade e desenvolvimento do corpo, ocorre uma produção intensa de hormônios que podem alterar a flora vaginal. Além disso, roupas utilizadas em atividades físicas, como shorts justos, maiôs de natação, podem aumentar a temperatura e umidade vaginal e estimular a proliferação dos fungos causadores da doença.

Terceira idade

Com a queda do sistema imunológico típica da terceira idade o corpo fica mais exposto a doenças oportunistas como a candidíase. Além disso, o uso de fraldas geriátricas deixa a região genital úmida e quente, ambiente ideal para a reprodução desenfreada de fungos e bactérias, como a Candida.

Tratamento

Em todas as idades, o ideal é procurar um médico, seja o pediatra ou ginecologista para se certificar sobre o diagnóstico da candidíase. O tratamento realizado em todos os casos tem como base o uso de antifúngicos, como o clotrimazol, principal substância de Gino-Canesten®.

Para conhecer nossos produtos Clique Aqui

Fonte:

L.BR.MKT.12.2015.4496.

#Dicas

#Dicas

Para tratar a candidíase de forma adequada, além do tratamento com Gino-Canesten®, você pode mudar hábitos, como evitar de usar calças apertadas, calcinhas de tecido sintético e mudar a forma com que faz a higiene íntima.

Pensado nisso, selecionamos algumas dicas valiosas para você!

Para conhecer nossos produtos Clique Aqui

L.BR.MKT.12.2015.4496.

#Especialista

#Especialista

Infecções vaginais, como a candidíase, são doenças comuns entre mulheres de todas as idades e podem ser ocasionadas por diversos motivos, como falta de ventilação na região íntima causada pelo uso de calças apertadas e calcinhas de tecido sintético, higiene íntima inadequada, desequilíbrio hormonal e da flora vaginal causado por estresse, gravidez, e até mesmo por outras doenças.

Por isso, é importante conhecer a doença, suas causas e o que fazer para prevenir e tratar as infecções vaginais em cada situação, sem acreditar em mitos populares e tratamentos incertos.

Portanto, conheça a candidíase, suas causas e os tratamentos mais eficazes para ter uma vida ginecológica saudável.

Para conhecer nossos produtos Clique Aqui

L.BR.MKT.12.2015.4496.

Estressada? Relaxe, a tensão pode prejudicar sua saúde íntima.

Estressada? Relaxe, a tensão pode prejudicar sua saúde íntima.

Trabalhar até mais tarde, enfrentar o trânsito, chegar em casa e ter que preparar o jantar, lavar a louça, ajudar os filhos com as tarefas escolares, conversar com o marido e, quando finalmente for se deitar, não conseguir dormir. Parece uma vida difícil, não é mesmo? Mas essa é a vida que muitas mulheres têm. Tendo que levar jornadas duplas ou até mesmo triplas de trabalho, que acumulam tensões, e geram um quadro de estresse que não faz nada bem não só para a saúde mental, mas também para a física.

O estresse é uma resposta do corpo às situações de pressão e cansaço extremos e pode se manifestar por meio de dores de cabeça, insônia, alterações de apetite, quadros de ansiedade e queda da imunidade. Essa última compromete todo o organismo ao deixá-lo exposto a doenças oportunistas, como a candidíase.

Essa infecção é causada por um fungo que vive naturalmente na flora vaginal, mas que se torna um problema quando se multiplica de forma excessiva e o organismo não consegue combater de forma adequada. Nesses casos a mulher pode sentir coceira e ardor na região íntima, que fica irritada e vermelha, além do corrimento branco e espesso sem odor, característico da doença.

Mas como manter a calma diante de uma vida tão corrida?

Sim, é possível diminuir o estresse

Não há como acabar de vez com a correria típica da rotina nas grandes cidades, mas é possível amenizá-la seguindo algumas dicas:

- Durma bem. Dormir bem faz toda a diferença, por isso, tente repousar ao menos oito horas por dia. Noites mal dormidas acumulam cansaço, aumentam a tensão e prejudicam a imunidade;

- Mantenha uma alimentação saudável. Ingerir alimentos frescos e ricos em nutrientes é a garantia de fornecer todas as vitaminas e minerais que o corpo precisa para fortalecer a imunidade;

- Pratique exercícios físicos regularmente, pois eles também fortalecem as defesas do organismo, além de propiciar sensação de relaxamento por conta da liberação de endorfinas, hormônios que geram a sensação de prazer.

Além de adotar esses hábitos, é importante refletir sobre as causas do estresse, procurar atividades relaxantes como acupuntura, meditação e yoga. Caso o problema persista, procure ajuda médica para investigar as causas do estresse.

Para conhecer nossos produtos Clique Aqui

Fonte:

L.BR.MKT.12.2015.4496.

Gino-Canesten®: o tratamento da candidíase.

Gino-Canesten: o tratamento da candidíase.

Toda mulher que passa pelo desconforto de uma infecção vaginal, como a candidíase ou vaginose, também pode enfrentar a vergonha na hora de falar sobre o assunto e comprar o medicamento certo na farmácia.

Muitas pessoas ainda pensam que a candidíase é uma doença sexualmente transmissível (DST), mas na verdade ela é causada por um desequilíbrio na flora vaginal, que pode ser provocado por diversos fatores, como baixa imunidade e uso de roupas inadequadas.

Gino-Canesten® é um medicamento com ação eficaz contra diversos fungos causadoras das infecções vaginais, com taxa de cura de 90%.

O clotrimazol, princípio ativo do Gino-Canesten®, tem qualidade comprovada com muitos anos de uso nos cuidados íntimos da mulher. É prático e eficiente, pois é o único antifúngico que está disponível em três versões, cada uma com uma solução específica para casos diferentes de candidíase. Veja como:

GINO-CANESTEN® 1 dia

Apresentação: Comprimido vaginal de 500 mg de clotrimazol e aplicador descartável.
Período: 1 dia de tratamento.
Medicamento inovador em forma de comprimido vaginal que precisa de apenas 1 aplicação: É simples e sem incômodos.

GINO-CANESTEN® 3 dias

Apresentação: Creme vaginal de 20 gramas a 2% de clotrimazol e 3 aplicadores descartáveis.
Período: 3 dias de tratamento.

GINO-CANESTEN® 6 dias

Apresentação: creme vaginal de 35 gramas a 1% de clotrimazol e 6 aplicadores descartáveis.
Período: 6 dias de tratamento.

Além de todos os benefícios que o tratamento com Gino-Canesten® oferece, sua venda é livre, ele está disponível nas farmácias sem exigência de receita médica. Ou seja, não há constrangimento algum durante a compra. Ótimo, não é mesmo?

Vale lembrar que Gino-Canesten® 3 e 6 dias são cremes vaginais para tratar a candidíase mais comumente conhecidos como pomadas.

Para comprar Clique Aqui

L.BR.MKT.12.2015.4496.

Higiene íntima: você está fazendo isso certo?

Calcinha: quais os melhores modelos para sua saúde íntima?

A candidíase, assim como outras infecções vaginais, é causada pelo desequilíbrio da flora vaginal e gera a proliferação de fungos, causando corrimento sem odor, coceira e vermelhidão no órgão feminino. E um dos fatores que pode desencadear esse desequilíbrio é a higienização incorreta da região íntima.

A higiene íntima feminina é um assunto que gera muitas dúvidas. Por ser uma prática rotineira, alguns erros podem ser cometidos por anos ou até mesmo por toda a vida, gerando problemas que muitas mulheres nem imaginam que tiveram origem na própria limpeza genital.

Como fazer a higiene íntima de forma correta?

- Lave as mãos antes e após ir ao banheiro. Elas ficam repletas de micro-organismos que podem desestabilizar a flora vaginal e provocar a candidíase;

- Ao evacuar ou urinar, se possível, lave a região externa, a vulva, com uma ducha pequena. Se não for possível, faça a limpeza com o papel higiênico;

- Quando for se limpar com o papel higiênico, sempre limpe da frente para trás, nunca ao contrário. Dessa forma, você evita levar bactérias das fezes, que ficam na região do ânus, para a vagina;

- Evite desodorantes vaginais e sabonetes íntimos muito perfumados, pois eles podem causar reações alérgicas e desencadear infecções. Prefira sabonetes neutros para realizar a higiene diária;

- Não faça duchas íntimas por dentro da vagina, pois elas destroem a flora vaginal, causando desequilíbrio e propiciando o surgimento da candidíase. Lavar a parte externa durante o banho é suficiente para manter a região limpa e protegida.

Se tiver dúvidas sobre sua higiene íntima, converse com o seu ginecologista, ele é a pessoa ideal para orientá-la.

Para conhecer nossos produtos Clique Aqui

Fonte:

L.BR.MKT.12.2015.4496.

Menstruação x Candidíase: como sair ilesa desse conflito?

Menstruação x Candidíase: como sair ilesa desse conflito?

O ciclo menstrual influencia em diversos fatores da saúde da mulher, inclusive na flora vaginal. Já no período pré-menstrual a imunidade do corpo feminino pode sofrer alterações quedas devido aos picos hormonais, podendo deixá-la mais vulnerável às infecções vaginais.

Assim como ocorre o aumento dos hormônios estrogênio e progesterona, com a chegada do sangramento também cresce o número de fungos que vivem na vagina devido à descamação do endométrio, eliminação de restos celulares e perda de sangue. Com isso, o pH vaginal fica desequilibrado, somado ao aumento da temperatura e da umidade local, tornando o ambiente ideal para o desenvolvimento da Candida.

Mas é possível diminuir as chances de uma infecção vaginal surgir durante a menstruação seguindo algumas dicas. São elas:

Absorvente: evite absorventes internos por períodos prolongados, pois eles aumentam a umidade e a temperatura da vagina, e consequentemente, a proliferação de fungos e bactérias. Prefira os externos e faça a troca no máximo de quatro em quatro horas.

Higiene: mesmo durante a menstruação, mantenha a sua rotina de higiene íntima. Evite duchas vaginais, pois pode desequilibrar a flora vaginal e aumentar ainda mais as chances da candidíase aparecer.

Se a infecção surgir durante a menstruação, faça o tratamento adequado. Gino-Canesten® pode ser uma opção, e converse com seu ginecologista sobre como evitar novas crises da doença.

Para conhecer nossos produtos Clique Aqui

Fonte:

L.BR.MKT.12.2015.4496.

Mitos x Verdades

Mitos x Verdades

Quando você diz que está com algum problema, é natural que os amigos queiram ajudar dando opiniões, não é verdade? Mas mesmo quando a intenção é boa, as opiniões podem vir cercadas de tabus e isso pode deixá-la mais confusa em busca de uma solução.

Por isso, para acabar de vez com as dúvidas e mitos sobre a candidíase, vamos esclarecer os principais questionamento sobre essa infecção vaginal:

Ficar com biquíni ou maiô molhado pode predispor a candidíase?

Verdade. Ficar muito tempo com peças molhadas aumenta a umidade da vagina e torna a região perfeita para a proliferação dos fungos causadores da candidíase, que se multiplicam locais quentes e úmidos.

Leia mais >

Verdade. Ficar muito tempo com peças molhadas aumenta a umidade da vagina e torna a região perfeita para a proliferação dos fungos causadores da candidíase, que se multiplicam locais quentes e úmidos. Portanto, assim que sair do mar ou da piscina não fique muito tempo com a roupa de banho molhada, leve sempre uma roupa seca para trocar e curtir o passeio sem problemas.

Candidíase é uma DST?

Mito. A infecção vaginal por Candida não é considerada uma doença sexualmente transmissível (DST), pois o fungo vive no corpo de uma mulher saudável. Ele vira um problema e causa a doença apenas quando há algum desequilíbrio na flora vaginal e quando se multiplica em excesso, que pode ser causado por diversos fatores, não necessariamente pelo contato sexual.

Calça jeans pode provocar corrimento?

Verdade. Como o jeans é um tecido grosso, abafa a região íntima, aumentando a temperatura e a umidade, tornando a vagina um ambiente ideal para a proliferação de fungos, como o da candidíase, que tem como um dos seus principais sintomas o corrimento branco, espesso e sem cheiro.

Evite usar calça jeans por períodos longos, principalmente em dias quentes. Prefira saias e calças de tecidos leves para ajudar na ventilação da pele.

É preciso ferver a calcinha ou passar o fundo com ferro quente para evitar infecções?

Mito. Não é preciso ferver ou passar a calcinha com ferro quente. O ideal é lavar as peças íntimas com sabão neutro, enxaguar até sair todo o produto e deixar secar bem ao sol.

Calcinha de algodão ajuda a evitar candidíase?

Verdade. O algodão permite que a pele "respire" e isso reduz a umidade da vagina e também evita que a temperatura aumente. Dessa forma, a região fica mais arejada, evitando a proliferação dos fungos causadores da infecção vaginal.

Candidíase é sinal de má higiene?

Mito. A candidíase não está diretamente relacionada com a falta de higiene, ela pode surgir por diversos outros fatores que provocam o desequilíbrio da flora vaginal, como baixa imunidade e variações hormonais. Inclusive, fazer a higiene íntima de forma excessiva também pode causar a infecção, como por exemplo, as duchas íntimas, que parecem ser uma ótima opção para uma limpeza profunda do canal vaginal, na verdade retiram os organismos que ajudam na saúde íntima, deixando a mulher exposta à proliferação dos fungos causadores da candidíase.

Dormir sem calcinha ajuda a evitar infecções vaginais?

Verdade. Dormir sem calcinha é excelente para a saúde íntima da mulher. Depois de passar o dia todo abafando a região com roupas que nem sempre permitem a ventilação da pele, o ideal é dormir sem calcinha para deixar a região mais livre e arejada. Isso evita que a temperatura e umidade vaginal aumentem e que ocorra a proliferação dos fungos que causam a candidíase.

Agora que você já quebrou os principais tabus relacionados à candidíase, não há mais motivo para ter vergonha de falar sobre o assunto, se prevenir e tratar o problema caso ele surja. Lembre-se, quando sentir coceira vaginal e apresentar corrimento branco e espesso, procure seu ginecologista antifúngicos, como o Gino-Canesten®, alivia os sintomas e trata o problema de verdade.

Fonte:

L.BR.MKT.12.2015.4496.

Não consigo me livrar da candidíase.

Não consigo me livrar da candidíase.

Coceira, ardor, vermelhidão, corrimento branco e espesso sem odor, esses são os sintomas da candidíase, uma infecção vaginal que acomete a maioria das mulheres pelo menos uma vez na vida.

Porém, existe a chance dela se tornar um incômodo recorrente. Quando as crises de candidíase se tornam frequentes, mais do que quatro vezes ao ano, é caracterizado o quadro de candidíase de repetição.

As infecções recorrentes indicam que pode existir algum outro problema no corpo da mulher, como imunidade baixa ou um episódio de candidíase que não foi tratada adequadamente.

O que fazer para se livrar da candidíase?

Sofrer com crises constantes de candidíase é uma situação desesperadora, mas tem solução.

Leia mais >

Sofrer com crises constantes de candidíase é uma situação desesperadora, mas tem solução. Procure um ginecologista, pois por meio do exame clínico ou laboratorial o médico pode verificar se o problema realmente é a candidíase ou alguma outra doença. Consultar um imunologista ou infectologista também pode ser importante para analisar as causas da infecção recorrente e defesas do organismo para fortalecer o sistema imunológico.

Alguns fatores que aumentam as chances da infecção surgir com frequência, como estresse, alimentação inadequada, uso de antibióticos e corticoides de maneira prolongada, fazer a higiene íntima de forma inadequada, e usar calças e calcinhas apertadas e de tecidos que não permitem que a pele ventile.

Qual o melhor tratamento para a candidíase de repetição?

Apesar de persistente, as infecções vaginais constantes têm cura. Após o diagnóstico médico é preciso tratar a causa com o uso de antifúngicos eficazes, como o clotrimazol, principal substância do Gino-Canesten®. Além disso, mude seus hábitos para fortalecer seu corpo conta o fungo e levar uma vida saudável.

Para conhecer nossos produtos Clique Aqui

Fonte:

L.BR.MKT.12.2015.4496.

Tira dúvidas

Tira dúvidas

O que é a infecção vaginal chamada candidíase?

A candidíase é um tipo de infecção vaginal muito comum causada geralmente pelo fungo Candida albicans, organismo que vive normalmente na flora vaginal sem expressar qualquer sinal de sua existência. Ele se torna um problema quando ocorre algum problema de saúde que desequilibra o funcionamento do organismo, seja por queda na imunidade, alterações do pH vaginal e na flora vaginal por outros fungos ou bactérias, entre outros. Vale ressaltar que usar calças muito justas, calcinhas de tecido sintético, e não manter a higiene correta da região íntima também estimula o surgimento da infecção.

Nessas situações, o ambiente vaginal acaba se tornando propício para a reprodução do fungo Candida, que se prolifera rapidamente, tornando-se um problema para as mulheres.

Leia mais >

Nessas situações, o ambiente vaginal acaba se tornando propício para a reprodução do fungo Candida, que se prolifera rapidamente, tornando-se um problema para as mulheres. Mas não é preciso se desesperar, o tratamento para a candidíase geralmente é simples e deve ser realizado com o uso de antifúngicos, como o Gino-Canesten®, que possui como princípio ativo o clotrimazol, que age no combate à doença e alívio dos sintomas.

Quais são os sintomas da candidíase?

Os sintomas mais comuns da candidíase são coceira, ardor, vermelhidão e inchaço na região vaginal, corrimento branco e espesso, sem odor. Algumas mulheres também apresentam pequenas fissuras nos lábios vaginais e períneo, próximo à entrada da vagina. Também, algumas mulheres podem sentir incômodo ao urinar e durante a relação sexual. Apesar de esses serem os sinais característicos da infecção, eles não surgem da mesma forma em todas as mulheres, por isso, é preciso estar atenta a qualquer alteração na região íntima e procurar o ginecologista o mais rápido possível.

Quem pode ter candidíase?

A candidíase é uma infecção muito comum e, por isso, estima-se que quase todas as mulheres passarão por esse problema ao menos uma vez na vida, tendo em vista que o fungo causador da doença está presente no corpo saudável e só se torna um problema em caso de desequilíbrio da flora vaginal por queda de imunidade, uso de roupas que prejudicam a respiração da pele, estresse, higiene inadequada, entre outros motivos que desestabilizam o funcionamento normal do corpo feminino.

Por isso a candidíase não deve ser motivo de vergonha e muito menos vista como uma doença sexualmente transmissível (DST). Ter a infecção não é sinal de descuido ou promiscuidade, significa apenas que algo não está em equilíbrio no seu corpo. Sendo assim, ao perceber qualquer alteração, procure o ginecologista para diagnosticar o problema e iniciar o tratamento o mais rápido possível com um medicamento antifúngico, como o Gino-Canesten®, que age na região íntima.

Algumas mulheres correm mais risco de desenvolver candidíase do que outras?

Existem algumas situações que deixam o corpo de algumas mulheres mais suscetíveis à proliferação dos fungos da candidíase, consequentemente, ao surgimento da infecção vaginal. São eles:

- O uso prolongado de alguns antibióticos ou corticoides podem alterar a flora vaginal, comprometendo a defesa da região e aumentando as chances de ocorrer algum episódio de candidíase;

- Mulheres diabéticas podem ter a imunidade comprometida pelos altos índices de glicose na corrente sanguínea, essa situação pode propiciar a proliferação dos fungos causadores da infecção;

- Alimentação deficiente, pobre em vitaminas e minerais, prejudica a imunidade e expõe o corpo às infecções oportunistas, como é o caso da candidíase;

- O estresse também é um motivo frequente de episódios de candidíase, pois desestabiliza o corpo e provoca queda da imunidade. Esse, inclusive, é um dos principais motivos de episódios recorrentes da infecção;

- As alterações hormonais da gravidez também são causas frequentes do surgimento da infecção por Candida, mas realizando o tratamento com antifúngicos adequados não há nenhum risco para mãe ou para o bebê;

- Mulheres que sofrem com obesidade ou resistência à insulina (pré-diabetes) também estão mais vulneráveis à infecção vaginal, pois esses problemas prejudicam o sistema imunológico;

- Usar roupas apertadas, como calças e calcinhas de tecidos grossos e sintéticos, que impedem a ventilação adequada da pele, aumentam a temperatura e a umidade da região vaginal, propiciando o ambiente ideal para a proliferação dos fungos causadores da candidíase;

- Substâncias químicas de absorventes, papel higiênico colorido e perfumado, sabonetes íntimos, perfumes, entre outros produtos podem irritar o tecido vaginal, alterar seu pH, tornando-o desequilibrado e propício para o surgimento da infecção;

- Relações sexuais excessivas podem deixar o tecido vaginal sensível e desequilibrar a flora vaginal. Por isso, é importante ter um período, mesmo que curto, de abstinência sexual para o tecido se recuperar após a relação;

- As alterações hormonais do período menstrual alteram o ambiente vaginal e aumenta as chances do surgimento da candidíase nesse período. Troque o absorvente no máximo de quatro em quatro horas e mantenha a higiene em dia.

Como tratar?

Para tratar a candidíase de forma efetiva utilize antifúngicos por via oral ou intravaginal. Medicamentos que utilizam como princípio ativo o clotrimazol, como o Gino-Canesten®, promovem o alívio rápido dos sintomas da candidíase, além de tratar a causa da infecção. Ao perceber qualquer alteração na região íntima, converse com o seu ginecologista, ele é o melhor especialista para indicar o tratamento mais adequado no seu caso.

Para conhecer nossos produtos Clique Aqui

Fonte:

L.BR.MKT.12.2015.4496.

Candidíase em homens.

Os homens podem ter infecção causada por fungos?

Infecção causada por fungos parece ser uma doença que somente mulheres contraem. 3 em cada 4 mulheres passarão por isso pelo menos uma vez em suas vidas2. Mas como funciona nos homens? Eles também podem contrair. Homens possuem infecção fúngica peniana. Apesar de ser menos comum, a média é a cada 10 homens apenas 2 contraem.

Causas e sintomas de fungos genitais em homens:

Assim como a infecção vaginal se dá em mulheres, a fúngica genital é desencadeado em homens. Em cerca de 90% dos casos, são espécies de Candida albicans. O fungo também pode ser encontrado na flora da pele de pessoas saudáveis. No entanto, ele pode se multiplicar se houver um desiquilíbrio e assim gerar sinais típicos de infecção.

Sintomas típicos:

Muito parecido com os sintomas femininos. Vermelhidão, inchaço, ardência ao urinar e dor durante a relação sexual. Em infecções graves pode haver bolhas nas glandes. Quando essas bolham estouram a glande é molhada e pode haver substâncias brancas e cinzas que podem ser comparadas ao corrimento feminino.

O que devo fazer se eu suspeitar de uma doença fúngica no pênis em relação ao meu parceiro?

Conversar com seu parceiro se ele detectou mudanças em sí mesmo, e ir a um médico. Nestes casos, recomenda um tratamento com um ingrediente antifúngico, mesmo para o homem como clotrimazol. Homens podem utilizar cremes, assim como as mulheres. Clique aqui e consulte nossas opções em versão creme.

Como o meu parceiro pode prevenir uma infecção?

O homem deve se certificar de limpar regularmente a sua área íntima com água , um sabonete de pH neutro suave e em seguida, secar bem a região.

Quem é mais suscetível?

Nem todo homem que entra em contato com o fungo genital desenvolve uma infecção fúngica. Há dois grupos de risco: homens com prepúcio e homens com sistema imunológico enfraquecido. Os fungos não se reproduzem bem na glande devido às condições não favoráveis de calor e umidade. É por isso que a infecção fúngica genital em homens não é comum.

Tratamento de fungos peniano:

A infecção fúngica genital em homens pode ser tratada, bem como a infecção vaginal. O tratamento se encontra com medicamentos contra antifúngicos.

Gino-Canesten® dispõe de duas apresentações em creme que tratam a candidíase em homens que não necessitam de prescrição médica. Gino-Canesten® creme é adequado para o tratamento da inflamação da glande e prepúcio do penis causada por leveduras (balanite por fungo do gênero Candida). Clique aqui e consulte nossas opções de tratamento. Aplicar uma camada fina nas áreas afetadas duas ou três vezes ao dia, por uma ou duas semanas até o desaparecimento total dos sintomas. Esse medicamento não deve ser utilizado por outra via de administração que não seja a recomendada.

Fonte:

  • Fonte: 2 Sobel J. Lancet. 2007. 369: 1961-71

L.BR.MKT.12.2015.4496.

Voltar para o topo
Se você deseja relatar um evento adverso ou fazer uma queixa técnica relacionada a qualquer produto da Bayer S.A., por favor, contate o seu médico ou clique aqui.
Para obter mais informações sobre benefícios e riscos dos medicamentos clique aqui.

Gino-Canesten® 1 comprimido vaginal (clotrimazol) / Gino-Canesten® creme vaginal (clotrimazol 1%) / Gino-Canesten® 3 creme vaginal (clotrimazol 2%) Reg. MS - 1.0429.0042. INDICAÇÕES. Gino-Canesten® Comprimido vaginal é indicado para o tratamento local de vaginite, infecção causada por fungos, geralmente do gênero Candida. Gino-Canesten® Creme vaginal: é indicado para o tratamento local de vaginite, infecção causada por fungos, geralmente do genêro Candida, na área genital. Também é indicado para o tratamento local infecção na área genital externa da mulher e em áreas próximas, e também de balanite, infecção no pênis (glande e prepúcio) do parceiro sexual. EYL 2015-08-25-92. SAC 0800 723 1010.
L.BR.MKT.07.2017.8042

GINO-CANESTEN® É UM MEDICAMENTO. SEU USO PODE TRAZER RISCOS. PROCURE O MÉDICO E O FARMACÊUTICO. LEIA A BULA. SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, UM MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO.

 

Escolha um parceiro abaixo para comprar agora:

Atenção: Ao clicar em comprar, você será direcionado para uma página externa.

Caso prefira ir às farmácias o produto Gino-Canesten se encontra na gôndola de saúde íntima feminina.